Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

Os "arranjadores" de Fado

Há cerca de meio século o poeta Carlos Conde dizia:

"...O fado é altar de fadistas, não pode ser refúgio de vadios! Há quem ande no fado a enganar os incautos, como quem anda nas cavernas a enganar a policia..."
E quando lhe perguntaram qual seria o remédio a aplicar, ele respondeu:
- Remédio? Isso era facílimo se algumas entidades superiores quisessem. Há fadistas que se encontram deslocados e teriam certas possibilidades de acertar noutro meio diferente, com vantagem para eles e para nós..."

E nesta altura ainda não existiam os "arranjadores" de fado. Aqueles que pegam nas músicas que estão avariadas e as arranjam, ou seja, os pseudo-criadores, aqueles que parece que criam, recebem os direitos de autor por aquilo que não criaram e ainda se alvitram de compositores.
Sinceramente, talvez por ignorância, desconhecia que as músicas do Marceneiro, Joaquim Campos, Casimiro Ramos, Julio Proença, Frederico de Brito. etc, etc, etc.......estavam avariadas, mas enfim... Atrevo-me a sugerir, se as músicas que existem estão assim tão avariadas, talvez o melhor seja fazerem umas novas, que tal?

Com tudo isto, estou a pensar seriamente em "arranjar" a letra: "A casa da Mariquinhas", sempre achei que deveria ser "O lar da Mariquinhas", mudo-lhe uma virgulas, tiro o Chico ponho o Zé e depois é só transcrever o resto, registo na SPA e não só recebo direitos como ainda sou reconhecido por ter "arranjado uma letra". - Fantástico - neste país vale a pena enganar os incautos!

Ao vosso dispor,
(Paulo Conde)

publicado por pauloconde às 23:58

link do post | comentar | favorito
|

.Paulo Conde

.pesquisar

 

.Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quero morrer nos teus bra...

. O Chico do povo

. Menina dos olhos tristes

. Eterno Amor

. Quadra Solta

. O mar

. Esperança perdida

. A bruxa de Palhavã

. O casino da Mariquinhas

. O portão do fado ou O por...

. O povo tem esperança e fé

. Tributo a Carlos Ramos

. Quero tudo o que é teu

. Na vida é tudo aparente

. Fado Goya

. O cais da solidão

. Um homem que não conheço

. Loucura

. Lisboa, sei quem és!

. Alfama fadista

. Daniel Correia - Militant...

. É Natal

. Canibais do Tempo

. Ode à solidão

. O Casino da Mariquinhas

. Livro de poesia

. Nota solta...

. O cálice da vida

. O segredo do teu olhar

. A minha lágrima

. A saudade e o desgosto

. Prisioneiro

. Á luz da vela

. Os "arranjadores" de Fado

. Casa da Azenha

. Eduardo Ramos de Morais

. Á esquina do Corpo Santo

. Apontamentos de fado

. O "Numero Um"

. Morte é lei

. Biografia

.arquivos

. Abril 2016

. Março 2016

. Junho 2014

. Março 2014

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Maio 2006

. Abril 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Visitas

Publipt! Clique Aqui!
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa